A Arrogância do Garimpo de Ações

 

Por Whitney Tilson (Tilsonfunds@aol.com)

Tradução e adaptação SER-

Fonte: http://www.fool.com/boringport/2000/boringport000103.htm

 

NEW YORK, NY (3 de Janeiro de 2000) – Uma das melhores colunas que eu já li no Motley Fool – ou em qualquer outro lugar sobre esse assunto – foi escrita pelo Fool Randy Befumo. Seu artigo na seção Fool on the Hill, escrita em 12 de novembro de 1997, chamada "Quando não investir”.(o artigo foi escrito no formato “Evening News”, de forma que tenha certeza que você olhou abaixo dos "Heroes" e "Goats" – NT: o artigo está traduzido). Eu tenho receio de não conseguir ser tão eloqüente como Randy, mas gostaria de destacar algumas de suas idéias e acrescentar outras minhas.

Eu detesto começar um novo ano dizendo coisas que certas pessoas não gostariam de ouvir, mas acho que, mesmo assim, merecem ser ditas e tendo em vista o que anda acontecendo no mercado, é melhor dizer logo do que deixar para depois. Eu acredito que uma quantidade razoável de pessoas que estão investindo em ações por si próprias não deviam estar fazendo isso. Acredito, como administrador profissional de investimentos, que isso possa parecer meio discriminador e arrogante de minha parte, mas ouçam primeiro o que eu tenho a dizer antes de começar a me julgar.

Durante os últimos 25 anos, os americanos têm vivido um dos melhores períodos na história do mercado acionário. Durante este período o índice S&P 500 caiu somente 3 anos, sendo que, o pior deles, foi uma pequena queda de 7.4% em 1977. O S&P subiu 5.1% em 1987, um ano mais lembrado por uma queda de 20% em um só dia de outubro. Os anos anteriores tiveram uma média de crescimento anual, sem precedentes, de 20% ou mais (o último recorde tinha sido de dois anos consecutivos). Não é preciso muito raciocínio para saber porquê milhões de americanos estão correndo para a bolsa.

Como escrevi em uma outra coluna recentemente, eu acho isso ótimo, porquê ações tem conseguido um retorno maior que os debêntures e títulos do Governo para os investidores de longo-prazo. Apesar dos altos níveis da bolsa que vivenciamos nos dias de hoje, eu acredito que este retorno continuará a beneficiar aqueles investidores que tem um horizonte de investimento maior do que 20 anos. Mas, o que mais me preocupa é o tipo de pessoa que está investindo em ações hoje em dia. Ao invés de investir em fundos geridos por profissionais especializados – ou, melhor ainda, investir em fundos atrelados ao índice, um número surpreendente de pessoas estão escolhendo papéis por si mesmo. Apesar do mantra pregado neste site, eu acredito que fazer isto seja um erro para muitos, talvez até mesmo para a grande maioria das pessoas.

Observando o enorme sucesso obtido por milhares de investidores nos últimos anos, por quê eu penso assim? Porquê acredito que bater o mercado por longos períodos é muito difícil e exigirá uma quantidade enorme de atributos (discutidas abaixo) que a maioria das pessoas não possui. Baseado naquilo que eu leio na mídia, em fóruns, e em e-mails que recebo de meus leitores, eu vejo que muitas pessoas são atraídas para a bolsa porquê se sentem como se estivessem perdendo uma festa em que todo mundo está participando. É só comprar ações de grandes empresas, papéis de empresas de renome, especialmente as mais arriscadas na área da Internet e tecnologia – e talvez algumas IPOs também - que você vai ficar rico. E sabe o que mais? Este ponto de vista vem ganhando mais força a cada dia, trazendo cada vez mais pessoas para esta festa que faz com que mais e mais pessoas invistam ainda mais dinheiro (e, Deus queira que não; comecem a pegar dinheiro emprestado para investir). De alguma forma, este fenômeno cria um ciclo que se autoperpetua e que acredito não possa continuar para sempre. Burton Malkiel, autor do brilhante livro “A Random Walk Down Wall Street”, escreveu um artigo eloqüente sobre isto, "Lições aprendidas das festas passadas", na edição de ontem do New York Times.

Eu quero deixar uma coisa bem clara: eu não sou aquele administrador desagradável que amaldiçoa o mercado (e que espera um colapso das ações que estão com preços altos hoje em dia – A Microsoft, por exemplo - na verdade sou justamente o oposto) – Mas, eu tenho estas ações na minha carteira não porquê elas sejam populares. Eu tenho porquê acredito que compreendi seu negócio, suas características econômicas e seu posicionamento em relação à concorrência, e acredito que estas companhias irão se sair bem por muitos anos ainda e pretendo ficar com elas muito tempo para justificar as altas avaliações que elas recebem nos dias de hoje. Eu não me iludo em relação aos riscos que envolvem possuir ações deste tipo, mas sou suficiente cuidadoso para diversificar com outras ações de valor e ações do tipo “small/mid-caps”.

Quem deveria investir individualmente em ações?

Eu endosso completamente o garimpo de ações, mas apenas para aquelas pessoas que tenham expectativas realísticas, e o que eu chamo de 3 Ts: Tempo, Treinamento e Temperamento.

Expectativas

Todos nós conhecemos estatísticas sobre o percentual de administradores de fundos muito bem treinados e com enormes recursos a seu dispor que perderam do índice S&P 500 – mais de 90% nos últimos 5 anos. Na média, investidores individuais alcançam resultados piores que o do Mercado por inúmeros motivos parecidos: taxas, impostos e despesas com transações (veja o estudo Odean e Barber sobre 78.000 investidores individuais). Dados estes números, devemos ter muita confiança, quase beirando a arrogância (ou talvez orgulho) para tentar vencer o mercado. Eu sou tão culpado quanto qualquer outra pessoa que tenta fazer isto. Então porquê tantas pessoas tentam? Eu descrevi algumas destas razões na minha coluna “os perigos do excesso de confiança dos investidores”.

Tempo

Antes de começar a administrar dinheiro profissionalmente em tempo integral, eu fazia a mesma coisa que a maioria de vocês está fazendo agora: Investindo em ações nas minhas horas vagas, enquanto trabalhava em um outro lugar em tempo integral. Fazendo a retrospectiva, vejo que estava até obtendo sucesso, mas, analisando direito hoje, acredito que isto se deveu mais ao fator sorte, e não porque eu conhecesse as companhias e as indústrias em que estava investindo. Hoje eu tenho uma compreensão muito mais aprofundada – e tenho tempo para pesquisar muito mais oportunidades de investimento – duas coisas que eu acredito me deram uma probabilidade maior de ganhar do mercado no longo prazo.

Eu sei que Philip Fisher e outros investidores que eu respeito imensamente, dizem que uma vez que você tenha escolhido algumas poucas boas companhias, tudo o que você terá que fazer é gastar 15 minutos por companhia, a cada três meses, para revisar seus demonstrativos trimestrais, mas, sinceramente, acho que isto não seja uma atitude muito realística – principalmente se você estiver investindo em um setor tão dinâmico como é o de tecnologia. Se eu não tivesse tempo integral para cuidar de meus investimentos acho que colocaria meu dinheiro em fundos indexados.

Treinamento

Lembra-se da primeira vez que você tentou andar de patins ou bicicleta? Você deve ter se sentido bastante inseguro e começou indo bem devagarzinho aprendendo primeiro como virar e parar. É claro que nada impediria você de subir de cara no morro mais alto, mas acredito que você deva ter tido o bom senso de não fazer isto. Talvez você não tenha tido esse bom senso, mas pergunte a si mesmo: mesmo que você não tenha caído, será que isto teria sido uma boa idéia? Investir é muito mais difícil que andar de patins ou andar de bicicleta - e as conseqüências de um erro podem ser bastante severas - E tem muita gente boa que está comprando ações sem ter a mínima noção do que está fazendo.

Identificar e explorar as ineficiências do mercado é a chave do sucesso para investimentos de longo-prazo. Mas, para conseguir isso, é preciso possuir as habilidades e treinamento necessários para compreender, pelo menos, algumas indústrias e companhias, e saber como avalia-las com clareza. Nesta coluna, Randy lista alguns destes requisitos mínimos:

 “Na minha opinião você Não deveria investir em ações se não souber o significado de qualquer um dos seguintes termos: margem bruta, margem operacional, margem líquida, lucro-por-ação, custo das mercadorias vendidas, recompra de ações (buybacks), vendas, contas a receber, estoques, fluxo de caixa, estimativas de lucro, depreciação, amortização, gastos de capital, capitalização de mercado, avaliação (“ valuation “), patrimônio líquido, ativos, passivos e retorno sobre o patrimônio líquido”.Eu ainda acrescentaria a esta lista, entre outras, o “flow ratio” e o retorno sobre capital investido. Como é que alguém poderia pensar em ser um investidor de sucesso no longo-prazo sem conhecer pelo menos estas ferramentas?

Aprender estas coisas não é tão difícil assim - e eu posso assegurar a vocês, baseado na minha própria experiência - que isto não requer um MBA. Mas requer um pouco de tempo e esforço pessoal. Então, por onde começar? Eu aprendi quase tudo que sei hoje sobre investimentos lendo (você pode encontrar na minha página, meus livros e citações preferidas sobre investimentos). Perguntaram exatamente isto a Warren Buffett e Charlie Munger no encontro anual do da Berkshire Hathaway ano passado. Munger respondeu, "Eu acho eu e Warren aprendemos mais sobre investimentos nas revistas de negócios do que em qualquer outro lugar. Eu não creio que você consiga ser realmente um investidor acima da média sem fazer uma quantidade enorme de leitura”. Buffett respondeu ainda, "Você até poderia pensar em pegar 5 ou 10 companhias das quais você esteja familiarizado com seus produtos, mas não necessariamente com as suas finanças...depois, pegue um monte de demonstrativos financeiros e todas as reportagens que foram escritas sobre estas companhias nos últimos 5 a 10 anos. E mergulhe fundo. Depois disso pergunte a si mesmo, 'O que eu ainda não sei que deveria saber?' A alguns anos atrás, eu sairia por aí conversando com concorrentes e funcionários...E começaria a fazer um monte de perguntas.....É um processo investigativo - um verdadeiro processo jornalístico. Ao final, você deve se preocupar em escrever uma história sobre esta companhia .......  sobre algumas companhias é fácil escrever, já sobre outras, é muito mais difícil escrever. Nós tentamos procurar por aquelas sobre as quais são fáceis escrever”

Temperamento

Um grande número de estudos diz que, em matéria de investimentos, as pessoas são extremamente irracionais. Na média, nós compramos e vendemos muito e justamente na hora errada, deixamos as emoções sobrepujarem a lógica, desprezamos as probabilidades, esquecemos a performance, etc. E a lista só aumenta. Para investir com sucesso, você tem que entender e passar por cima destas tendências humanas. Se você está interessado em aprender mais veja os livros e artigos indicados no final do meu texto “Os perigo do excesso de confiança dos investidores”. Agora, o que dizer sobre o Site Fool?

O que eu estou dizendo pode contrariar, de várias maneiras, tudo que o The Motley Fool prega (e eles estão publicando esta coluna herege por conta deles). Por exemplo, David Gardner escreveu no Rule Breaker Portfolio a alguns dias atrás:

"Em agosto de 1994 nós começamos com $50.000 de nosso próprio dinheiro. O objetivo era provar ao mundo o que era a nossa crença mais profunda: que uma carteira de ações selecionada de acordo com regras definidas em nossos princípios poderia “bater” os gato-gordos de Wall Street em seu próprio jogo. Nós somos meros investidores individuais – sem uma gota de sangue institucional em nossas veias -- ensinado pelos nossos pais, pelas nossas próprias leituras e por nossas próprias experiências como consumidores e amante dos negócios. E não há nada mágico nisso."

Estes “Zé Ninguém” conseguiram compor seus retornos anualmente a 69,6% desde que começaram em 5/8/94. Se eles conseguiram porquê você também não pode conseguir? Por uma série de razões. Eu penso que eles até podem admitir terem tido sorte, mas, é claro, que houve algo mais do que isso. Eu conheci os irmãos Gardner e li bastante sobre o que eles escreveram nos últimos quatro anos. Eles certamente não são uns “Zé Ninguém” quaisquer. Eles vivem, comem, e respiram investimentos, aderiram a uma estratégia de investimento disciplinada, produzem e analisam idéias de investimentos dentro de um círculo de pessoas extremamente inteligentes, e são bastante analíticos e racionais.

E o que dizer sobre os Cachorros do Dow (NT.-Dow Dogs- estratégia que visa comprar um número fixo das maiores pagadoras de dividendos do índice) e outros métodos de garimpar ações já testados anteriormente?

Só este tópico merecia uma coluna separada, mas eu sou extremamente céptico sobre métodos testados anteriormente (Cara, eu tenho certeza que vou receber um monte de desaforos na minha caixa postal por esta frase!). Eu vi os vários métodos no Workshop dos Fool (Keystone, Spark 5, etc.) e minha maior preocupação é que estes métodos foram testados a partir de 1986 ou 1987. Eu sei que isso pode parecer um longo tempo, mas não é, ainda mais quando tivemos uma fase de alta geral da bolsa por todo esse período. Eu não estou interessado em métodos que irão bem enquanto o Mercado continuar a subir como um todo. Todos nós iremos bem se o mercado como um todo continuar a subir, -Eu fico preocupado com o que aconteceria se um cenário do tipo que vivemos na década de 70 se repetisse. Neste caso, eu não acredito que todos os métodos do Foolish Workshop irão funcionar muito bem. Pense sobre isto : O que teria acontecido se você tivesse testado todos estas estratégias em 1982. Eu aposto que o método que se sairia melhor é aquele que tivesse previsto a compra de diversas companhias que envolvessem recursos naturais, o que teria sido um verdadeiro desastre como investimento daí para frente.

Mas o que dizer sobre o Foolish Four e outras estratégias tipo a Dow Dog, que se saíram muito bem durante a década de 70, e sobre as quais existem dados que remontam o início do século? Eu acredito que existam muitas coisas válidas nessas abordagens, mas eu continuo céptico a segui-las cegamente. Ao invés disto, eu as uso como fontes de idéias de investimento.

Em resumo, eu não acredito que exista qualquer coisa que substitua fazer o seu dever de casa corretamente e realmente compreender as companhias e as indústrias nas quais você está investindo.

Conclusão

É muito difícil para mim desencorajar qualquer um a investir individualmente em ações, porquê eu adoro fazer isto. Eu acho fascinante aprender sobre companhias e indústrias e observar o voraz espetáculo do capitalismo acontecer. Para mim, assistir Scott McNealy, Bill Gates e Larry Ellison brigando cabeça a cabeça é o melhor jogo que eu tenho para assistir.

Mas eu não acredito que garimpar ações será tão fácil como foi nos anos passados, e eu receio que muitas pessoas não estão bem alertadas sobre isto. Como Warren Buffett disse uma vez, "Você não pode saber quem está nadando pelado, até que a maré baixe." Quem sabe? Pode ser que eu também esteja nadando pelado.

Eu compreendo porquê pessoas não investem em fundos atrelados ao índice - É natural querer ser melhor que a média. Mas a insistência de em não aceitar o retorno médio, fazem com que várias pessoas obtenham um retorno abaixo da média, depois de considerar todos os custos envolvidos. Eu aconselho a vocês a investir em ações individualmente, mas apenas se tiverem dispostos a empregar tempo e esforços suficientes para fazer isto corretamente.

Whitney Tilson

Whitney Tilson é sócio administrativo da Tilson Capital Partners, LLC, Uma firma de administração de recursos de New York . Mr. Tilson apreciaria seu feedback em Tilsonfunds@aol.com.

 



  Textos              Links             Avaliações          Home